Aliança produz adubo orgânico a partir do controle de plantas aquáticas no reservatório da UHE Aimorés

Na Usina de Aimorés, um tipo de vegetal aquático conhecido como macrófita, comum em lagos e lagoas, tem um destino diferente: depois de passar por um processo de compostagem dá origem a um rico adubo e contribui para a recuperação de áreas degradadas e de reflorestamento.

Aliança produz adubo orgânico a partir do controle de plantas aquáticas no reservatório da UHE Aimorés - Aliança Energia

A Aliança Energia promove  a retirada das macrófitas do reservatório da Usina de Aimorés, hidrelétrica operada pela empresa no Leste de Minas Gerais. Mas, ao invés de descartar esse vegetal rico em nutrientes, transforma-o em adubo orgânico, que é utilizado no programa de reflorestamento da mata ciliar. “O adubo oriundo da macrófita pode ser utilizado para a recuperação de áreas degradadas ou ainda colocado em covas onde há o plantio de árvores de reflorestamento, contribuindo para enriquecimento do solo com nutrientes”, detalha a analista de Meio Ambiente Lucilene Becalli.

Durante a retirada das macrófitas do reservatório, também são colhidos materiais como garrafas pet e outros tipos de plástico que poluem o rio. “Tudo aquilo que não é aproveitado no processo de compostagem é separado manualmente e recebe destinação correta. Dessa forma, contribuímos ainda mais para a diminuição da poluição”, destaca Lucilene.

Entenda como as macrófitas se transformam em adubo


Aliança produz adubo orgânico a partir do controle de plantas aquáticas no reservatório da UHE Aimorés - Aliança Energia

1) As macrófitas são retiradas do reservatório da Usina de Aimorés com o uso de  embarcações, escavadeiras e caminhões

Aliança produz adubo orgânico a partir do controle de plantas aquáticas no reservatório da UHE Aimorés - Aliança Energia

2) As plantas são depositadas em leiras (montes) com 1,5 metro de altura por 4 metros de largura e ficam nelas por um período de 3 a 5 meses

Aliança produz adubo orgânico a partir do controle de plantas aquáticas no reservatório da UHE Aimorés - Aliança Energia

3) Durante o processo, elas são reviradas a cada 14 dias para desidratarem (compostarem) e para evitar o surgimento de chorume

Aliança produz adubo orgânico a partir do controle de plantas aquáticas no reservatório da UHE Aimorés - Aliança Energia

4) O resultado é uma espécie de terra vegetal, pronta para ser utilizada como adubo nas áreas de reflorestamento da Aliança

xxxxxx

Saiba mais sobre as macrófitas

As macrófitas são plantas aquáticas que se alimentam de resíduos orgânicos, ajudando na melhoria da qualidade da água, além de contribuírem ecologicamente para a reprodução e desenvolvimento dos peixes. Porém, devido à poluição, causada por esgoto doméstico jogado nos rios e outros nutrientes – como fertilizantes carreados das plantações – ocorre uma proliferação exagerada das macrófitas. Em excesso, essas plantas dificultam a passagem de luz para o fundo do reservatório, o que afeta a oxigenação da água, prejudicando o desenvolvimento de outras formas de vida. Além disso, as macrófitas atrapalham o processo de geração de energia hidrelétrica, pois podem obstruir as grades por onde passa a água que chegará às turbinas da usina e até mesmo danificar estes equipamentos.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *