Grupo de trabalho detalha implantação do PAE na UHE Aimorés

No último dia 25 de março, em Aimorés, foi discutida a proposta de implantação do Plano de Ação de Emergência – PAE, nos municípios de Aimorés e Baixo Guandu. Participaram representantes da Aliança Energia, lideranças municipais e órgãos de proteção e defesa civil dos estados de Minas Gerais e Espirito Santo.

A visita técnica às áreas da usina auxiliou no entendimento dos cuidados já adotados pela Aliança Energia para garantir a qualidade e segurança das instalações para geração de energia elétrica.

SAIBA O QUE FALARAM OS REPRESENTANTES:

A Aliança Energia vem mantendo ações para fomentar a cultura de segurança de barragens e gestão de eventuais riscos, através também de um diálogo permanente com os órgãos responsáveis e com a sociedade, visando a implementação de ações preventivas e de resposta a emergência, com foco na integridade operacional e preservação da vida“, afirmou Frederick Nunes, engenheiro de Planejamento de Operação e Manutenção .

O vice-prefeito de Aimorés, Jefferson Dias Batista, comentou que a implantação do PAE irá contribuir para a tranquilidade da população. “As pessoas aprenderão como agir caso ocorra alguma situação de emergência e isso é fundamental”, conclui.

Para o sargento Célio Pereira, comandante do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais em Resplendor, é importante que os municípios protagonizem o processo de construção do PAE já que conhecem as especificidades locais, e acrescenta que “sempre poderão contar com o apoio e toda a ajuda necessária por parte dos Bombeiros de Minas Gerais para implantação”.

 

Sobre o PAE – A Aliança Energia protocolou, em 2017, o PAE junto às coordenadorias municipais de defesa civil dos municípios envolvidos, atendendo aos prazos regulamentares e vem realizando diversos encontros com os envolvidos. Essa ação atende a lei 12.334 – Política Nacional de Segurança de Barragens, nos termos da resolução 696, publicada em 2015 pela Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL. Outras ações, como essas, estão sendo detalhadas nos grupos de trabalho não apenas da usina de Aimorés e Funil, mas também nos consórcios.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *