Testes das Sirenes do PAE das Usinas de Funil e Aimorés Atendem Objetivos

Ações preventivas foram realizadas nas cidades mineiras de Lavras, Ribeirão Vermelho e Aimorés e em Baixo Guandu, no Espírito Santo, para avaliação dos mecanismos de acionamento das sirenes e familiarização das comunidades com o som

Os testes das sirenes do Plano de Ação de Emergência – PAE – das usinas hidrelétricas de Funil, localizada no rio Grande, e de Aimorés, no rio Doce, pertencentes à Aliança Energia, fazem parte dos procedimentos preventivos e visam a validação do Sistema de Alerta implantado nas cidades localizadas abaixo das duas barragens. “A dinâmica dos testes ocorreu em três ciclos em que nós acionamos primeiro uma mensagem de voz explicando ser apenas um teste, seguidos de três toques das sirenes e depois de um pequeno intervalo, de aproximadamente cinco minutos, esse processo foi repetido outras duas vezes”, explica Adilison Melo, coordenador da Usina de Aimorés.

No Sul de Minas Gerais, as 11 estações remotas das sirenes do PAE da UHE Funil foram acionadas simultaneamente, no dia 14 de setembro, a partir das 14h30, sendo 8 na cidade de Ribeirão Vermelho e 3 no bairro Niterói, em Lavras, cobrindo uma área com cerca de 3.200 pessoas.

No Leste de Minas, o teste das sirenes do PAE da UHE Aimorés foi realizado em 21 de setembro, a partir das 14h30, com acionamento simultâneo das 20 estações remotas, 13 em Aimorés e 7 em Baixo Guandu, cobrindo uma área com aproximadamente 7.000 pessoas.

Segundo o coordenador da UHE Funil, Willian Rosa, o objetivo dos testes preventivos foi avaliar o pleno funcionamento de todas as instalações, de todas as estruturas e também uma oportunidade para que a população se familiarizasse com o som das sirenes. “É importante que os moradores saibam reconhecer o sinal caso seja necessário um acionamento”, esclarece Willian, destacando ainda que as barragens das duas usinas permanecem seguras, dentro das classificações de risco baixo, conforme já validado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e que periodicamente passam por inspeções e por controles de engenharia.

Além das equipes da Aliança Energia, a ação preventiva também contou com a participação de representantes da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar e foi destaque na imprensa local, nas regiões próximas às duas usinas, contribuindo para levar informações oficiais e confiáveis para as comunidades e evitando a disseminação de boatos e notícias falsas.

O PAE atende a Política Nacional de Segurança de Barragem e Política Nacional de Proteção e Defesa Civil. No mês de novembro estão previstos novos testes das sirenes do PAE das Usinas de Funil e Aimorés para equalizar e validar a intensidade sonora e a abrangência do sistema de alerta. Na ocasião, também será realizada uma pesquisa junto à comunidade para identificar a percepção dos moradores das quatro cidades sobre o sistema de alerta. Desde 2019, anualmente, as sirenes que compõem o sistema de alerta são testadas, criando uma rotina que fortalece a cultura de prevenção, e a comunidade é orientada através de campanhas e ações de comunicação sobre como proceder.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *